Projetos elétricos em Revit: quais os benefícios?

Os projetos elétricos em Revit têm imensas vantagens frente às metodologias tradicionais porque permitem uma especificação de componentes com características bem definidas, o que é imprescindível para uma melhor comunicação e entendimento, tanto dos envolvidos nessa fase do projeto como dos clientes. Veja nesse post como a compatibilidade dos fluxos de trabalho, incorporação de componentes de seus próprios padrões de camadas e realização das estimativas e documentação para o projeto estão dentro de alguns benefícios que o Revit MEP pode proporcionar dentro do setor AECO. Vantagens dos projetos elétricos em Revit Antes de passarmos ao Revit MEP, vamos pincelar apenas o que é BIM para reforçar os conceitos dessa metodologia colaborativa, que é focada nos pilares pessoas, processos e tecnologia. O Building Information Modeling permite um fluxo de trabalho inteligente a partir de um modelo único tridimensional, carregado com um banco de dados que vai servir durante todo o ciclo de vida do projeto e permitir o compartilhamento entre todos os envolvidos, inclusive para os projetos complementares MEP (hidráulica, elétrica e mecânica). O BIM traz ferramentas avançadas e com informações muito precisas para projetar, planejar, construir, gerenciar e operar edificações residenciais, comerciais, industriais ou de infraestrutura. Alguns softwares foram desenvolvidos para dar suporte ao BIM, e o Revit é um dos mais utilizados no setor construtivo, permitindo a colaboração multidisciplinar em projetos. Dentro da área da arquitetura e engenharia, esse conhecimento em Revit traz amplas vantagens para os profissionais que vão mudar verdadeiramente o mindset para adotar um fluxo muito inteligente de trabalho e resultados otimizados. Essas vantagens se estendem às empresas que fizeram a devida implementação do BIM. Nos projetos elétricos, há uma verdadeira sequência de necessidades, como promover a separação dos circuitos elétricos, localizar o padrão de energia e o Quadro de Distribuição de Circuitos, inserir a representação da instalação elétrica na planta arquitetônica, instalação de conduítes, a previsão da carga, diagrama dos circuitos, etc. Mas ainda há diversos outros passos que vão demonstrar as soluções encontradas pelos engenheiros no que se refere às normas, especificações e conjunto de plantas baixas elétricas. Todas essas etapas serão amplamente facilitadas nos projetos elétricos em Revit. Benefícios do projetos elétricos em Revit Conheça benefícios de adotar o Revit para projetos elétricos, como: Desenvolvimento de modelos de nível de fabricação no Revit MEP com grande detalhamento; As informações de design são englobadas com os vários elementos do projeto para permitir um alto nível de validação; Tem uma biblioteca de componentes inteligentes para selecionar e permitir a construção fácil de esquemas; A modelagem é fácil para colocação automática de tubos, dutos e acessórios de contenção; Visualização 3D para eletrodutos, caixas de passagem, pontos, quadros e inúmeros elementos do projeto; Converter desenhos em linhas para projetos mais detalhados e geométricos sem necessitar começar do zero, como passar projeto elétrico em Autocad para Revit ; Quantificação exata de todos os elementos utilizados no projeto, garantindo programações automatizadas; Ferramentas de detecção de conflitos, que vão evitar retrabalhos e custos desnecessários ao projeto; Vários profissionais podem trabalhar e coordenar tarefas simultaneamente; Atualização automática após realizadas alterações no design. OrçaFascio lança duas novas ferramentas para projeto elétrico A OrçaFascio, que é uma plataforma para orçamentação e acompanhamento de obras, lançou no dia 12 de novembro duas novas ferramentas que prometem mais economia e auxílio para os engenheiros e as empresas neste setor: o módulo OrçaBIM v2.0 e o módulo OF Elétrico. O primeiro promete mais agilidade para o processo de extração de quantitativos e orçamentos. Já o segundo será conectado com o Revit e promete elevar 16 vezes a eficiência para os projetos elétricos. O módulo OF Elétrico elimina a limitação do Revit para fio retorno, diagrama unifilar, eletrodutos flexíveis, etc. Versão 2021 do Revit MEP A necessidade de concorrer com o Revit no que se refere a projetos complementares fez a Graphisoft promover atualizações para o Archicad, porém, a versão 2021 do Revit amplia ainda mais os benefícios do software para os projetos MEP. Nesses aprimoramentos três itens ganham destaque para projetos elétricos em Revit: facilidade de uso, globalização e lógica de sistema. Facilidade de uso Segundo o blog da Autodesk, no tópico facilidade de uso, agora o software permite listar tabelas de painel sob as folhas nas quais são colocados no navegador de projeto. Essa nova funcionalidade dá mais consistência para o funcionamento das programações de quantidades. Além disso, melhora também a pesquisa para encontrar cronogramas nas folhas. Outras facilidade é que agora também foram habilitados alguns parâmetros em circuitos sobressalentes e espaciais. Globalização Neste quesito, uma atualização importante é como os circuitos são numerados. Nos EUA, Reino Unido e França, os parâmetros eram diferentes. Para acomodar as definições de cada localidade, foi criado um esquema de nomenclatura de circuito, que também oferece suporte para a criação de esquema utilizando Parâmetros Compartilhados para circuitos de energia, circuitos de baixa tensão, dados, incêndio, alarme e similares. Lógica de Sistema Para lidar com os elementos nos sistemas de distribuição foram realizadas também melhorias na mesa de controle e melhorias no painel. Na mesa de controle, a primeira melhoria é permitir definir a fase elétrica dos circuitos monopolares e bipolares conectados à central. A segunda melhoria tem a ver com questões levantadas na quantidade de circuitos do quadro de distribuição. Já sobre as melhorias no painel, o Revit passou a lidar com painéis monofásicos e agora deu “permissão” para que os usuários alimentem um painel de outro painel com menos polos. Software similar da Bentley O OpenBuildings Designer, da Bentley, é semelhante ao Revit no que se refere às condições de modelagem do projeto elétrico. O software integra a modelagem e análise de eficiência energética para avaliar o desempenho da edificação. Porém, vale uma observação: todos esses softwares (Revit, Archicad ou Openbuilbings) atendem à modelagem do projeto elétrico. Caso necessitem da modelagem em conjunto com o projeto arquitetônico e análise devem buscar o QiBuilder da AltoQI. Com esse software é possível criar cálculos normativos integrados ao modelo arquitetônico a partir da importação dos dados contidos no formato IFC. É possível definir disciplina e inserir vários parâmetros, criar sub-rede para definir e mostrar melhor projeto, circuitos e comandos, entre outras funcionalidades. Conclusão Os engenheiros elétricos sabem a grande dor de cabeça que é encontrar uma colisão de projetos na fase de execução da obra, a necessidade de alterar um único elemento do sistema pode provocar alterações imensas nos níveis de correntes e as tensões do circuito, que podem gerar estouro de orçamento e prazos. Projetos elétricos em Revit são muito eficientes para evitar esses retrabalhos, além de promover redução de tempo na execução da obra. Sem sombra de dúvida, usar o Revit é um importante passo para aumentar a otimização dos resultados dos projetos elétricos.

Os projetos elétricos em Revit têm imensas vantagens frente às metodologias tradicionais porque permitem uma especificação de componentes com características bem definidas, o que é imprescindível para uma melhor comunicação e entendimento, tanto dos envolvidos nessa fase do projeto como dos clientes.

Veja nesse post como a compatibilidade dos fluxos de trabalho, incorporação de componentes de seus próprios padrões de camadas e realização das estimativas e documentação para o projeto estão dentro de alguns benefícios que o Revit MEP pode proporcionar dentro do setor AECO. 

Vantagens dos projetos elétricos em Revit

Antes de passarmos ao Revit MEP, vamos pincelar apenas o que é BIM para reforçar os conceitos dessa metodologia colaborativa, que é focada nos pilares pessoas, processos e tecnologia. 

O Building Information Modeling permite um fluxo de trabalho inteligente a partir de um modelo único tridimensional, carregado com um banco de dados que vai servir durante todo o ciclo de vida do projeto e permitir o compartilhamento entre todos os envolvidos, inclusive para os projetos complementares MEP (hidráulica,  elétrica e mecânica). 

O BIM traz ferramentas avançadas e com informações muito precisas para projetar, planejar, construir, gerenciar e operar edificações residenciais, comerciais, industriais ou de infraestrutura.

Alguns softwares foram desenvolvidos para dar suporte ao BIM, e o Revit é um dos mais utilizados no setor construtivo,  permitindo a colaboração multidisciplinar em projetos. 

Dentro da área da arquitetura e engenharia, esse conhecimento em Revit traz amplas vantagens para os profissionais que vão mudar verdadeiramente o mindset para adotar um fluxo muito inteligente de trabalho e resultados otimizados. Essas vantagens se estendem às empresas que fizeram a devida implementação do BIM.

Nos projetos elétricos, há uma verdadeira sequência de necessidades, como promover a separação dos  circuitos elétricos, localizar o padrão  de energia e o Quadro de Distribuição de Circuitos, inserir a representação  da instalação elétrica na planta  arquitetônica, instalação de conduítes, a previsão da carga,  diagrama dos circuitos, etc. 

Mas  ainda há diversos outros passos que  vão demonstrar as soluções encontradas pelos engenheiros no que se refere às normas,  especificações e conjunto de plantas baixas elétricas. Todas essas etapas  serão  amplamente facilitadas  nos projetos elétricos em Revit.

Mais benefícios do projetos elétricos em Revit

Conheça benefícios de adotar o Revit para projetos elétricos, como:

  • Desenvolvimento de modelos de nível de fabricação no Revit MEP com grande detalhamento;
  • As informações de design são englobadas com os vários elementos do projeto para permitir um alto nível de validação;
  • Tem uma biblioteca de componentes inteligentes para selecionar e permitir a construção fácil de esquemas;
  • A modelagem é fácil para colocação automática de tubos, dutos e acessórios de contenção;
  • Visualização 3D para eletrodutos, caixas de passagem, pontos, quadros e inúmeros elementos do projeto;
  • Converter desenhos em linhas para projetos mais detalhados e geométricos sem necessitar começar do zero, como passar projeto elétrico em Autocad para Revit ;
  • Quantificação exata de todos os elementos utilizados no projeto, garantindo programações automatizadas;
  • Ferramentas de detecção de conflitos, que vão evitar retrabalhos e custos desnecessários ao projeto;
  • Vários profissionais podem trabalhar e coordenar tarefas simultaneamente;
  • Atualização automática  após realizadas alterações no  design.

OrçaFascio lança nova ferramenta para projeto elétrico

A OrçaFascio, que é uma plataforma para orçamentação e acompanhamento de obras, lançou no dia 12 de novembro duas novas ferramentas que prometem mais economia e auxílio para os engenheiros e as empresas neste setor:  o módulo OrçaBIM v2.0 e o módulo OF Elétrico.

O primeiro promete mais agilidade para o processo de extração de quantitativos e orçamentos. Já o segundo será conectado com o Revit e promete elevar 16 vezes a eficiência para os projetos elétricos.

O módulo OF Elétrico elimina a limitação do Revit para fio retorno, diagrama unifilar, eletrodutos flexíveis, etc.

Versão 2021 do Revit MEP

A  necessidade de concorrer com o Revit no que se refere a projetos  complementares fez a Graphisoft promover atualizações para o Archicad, porém, a versão 2021 do Revit amplia ainda mais os benefícios do software para os projetos MEP.

Nesses aprimoramentos três itens ganham destaque para projetos elétricos em  Revit: facilidade de uso, globalização e lógica  de sistema.

Facilidade de uso

Segundo o blog da Autodesk, no tópico facilidade de uso, agora  o software permite  listar tabelas de painel sob as folhas nas quais  são colocados no navegador de projeto.  Essa nova funcionalidade dá mais  consistência para o funcionamento das  programações de quantidades. Além disso, melhora também a pesquisa para encontrar cronogramas nas folhas.

Outras facilidade é que agora também foram habilitados alguns parâmetros  em circuitos sobressalentes e espaciais.

Globalização

Neste  quesito, uma atualização importante é como os circuitos são numerados. Nos EUA, Reino Unido e França, os parâmetros eram diferentes. Para acomodar as definições de cada localidade, foi criado um esquema de nomenclatura de circuito,  que também oferece suporte para a criação de esquema utilizando Parâmetros Compartilhados para  circuitos  de energia,  circuitos de baixa tensão, dados, incêndio, alarme e similares.

Lógica de Sistema

Para lidar com os elementos nos sistemas de distribuição foram realizadas também melhorias na mesa de controle e melhorias no painel.

Na mesa de controle, a primeira melhoria é permitir definir a fase elétrica  dos  circuitos monopolares e bipolares conectados à central. A segunda melhoria tem  a ver com questões levantadas na quantidade de circuitos do quadro de distribuição.

Já sobre as melhorias no painel, o Revit passou a lidar com painéis monofásicos e agora deu “permissão” para que os usuários alimentem um painel de outro painel com menos polos.

Software similar da Bentley

O OpenBuildings Designer, da Bentley, é semelhante ao Revit no que se refere às condições de modelagem do projeto elétrico.

O software integra a modelagem e análise de eficiência energética para avaliar o desempenho da edificação.

Porém, vale uma observação: todos esses softwares (Revit, Archicad ou Openbuilbings) atendem à modelagem do projeto elétrico. Caso necessitem da modelagem em conjunto com o projeto arquitetônico e análise devem buscar o QiBuilder da AltoQI.

Com esse software é possível criar cálculos normativos integrados ao modelo arquitetônico a partir da importação dos dados contidos no formato IFC. É possível definir disciplina e inserir vários parâmetros, criar sub-rede para definir e mostrar melhor projeto, circuitos e comandos, entre outras funcionalidades.

Conclusão 

Os  engenheiros elétricos sabem a grande dor de cabeça que é encontrar uma colisão de projetos na fase de execução da obra, a necessidade de alterar um único elemento do sistema pode provocar alterações imensas nos níveis de correntes  e as tensões do circuito,  que podem gerar estouro de orçamento e prazos.

Projetos elétricos em Revit são muito eficientes para evitar esses retrabalhos, além de promover redução de tempo na execução da obra.

Sem sombra de dúvida, é um importante passo para aumentar a otimização dos resultados com projetos elétricos em Revit.

Compartilhe

Mais Posts

O BIM Mandate pode ter duas interpretações: o documento (Manual do BIM) que detalha aspectos de modelagem ou mandato BIM, que é um padrão que estabelece políticas de implementação da metodologia em certos países. Neste aspecto, o BIM Mandate Brasil é a Estratégia BIM BR, lançada pelo decreto 10.306, de abril de 2020. No decreto, o governo federal estabeleceu a utilização do Building Information Modeling na execução direta ou indireta de obras e serviços de engenharia realizada pelos órgãos e pelas entidades da administração pública federal, no âmbito da Estratégia Nacional de Disseminação do Building Information Modelling- Estratégia BIM BR, instituída pelo Decreto nº 9.983, de 22 de agosto de 2019. Neste post, vamos focar no Manual BIM, que é essencial para os projetos do setor, pois é a definição dos fornecedores ou construtoras sobre as necessidades de informação da estrutura do modelo e vai orientar todo o processo de desenvolvimento do projeto. Leia o post até o final para entender melhor o BIM Mandate, que pode também ajudar as empresas nas contratações de projetos. O que é BIM? Antes de falar de BIM Mandate (Manual BIM), vamos entender o que é BIM (Building Information Modeling). Essa é uma metodologia que envolve um processo inteligente e colaborativo, baseado em um modelo 3D único para a indústria da Arquitetura, Engenharia e Construção. Como o modelo é único, o processo é totalmente colaborativo entre as disciplinas permitindo projetar, analisar, planejar, gerenciar e operar sistemas de construção de uma forma muito mais rápida e segura do que os métodos tradicionais. Além disso, o BIM também possibilita redução de custos e de tempo de execução de obra, permitindo agregar muito mais valor aos projetos do setor construtivo. No mundo, a necessidade da metodologia vem crescendo de tal forma que, além das edificações, também tem sido utilizado o BIM na modelagem das cidades. Para que serve BIM Mandate? Vamos ao BIM Mandate ou Manual BIM: é um documento essencial porque vai orientar as equipes tanto na identificação quanto na execução de cada fase do ciclo de vida do projeto. Normalmente, é utilizado por uma construtora, empresa de projetos ou setor do órgão público com suas regras gerais de trabalho em BIM. Por meio deste documento, criado antes de iniciar o projeto, todos os padrões de construção são definidos e especificados pelos fornecedores (escritórios de arquitetura ou engenharia) ou empreiteiras. São formas únicas de realizar o procedimento para modelagem. Funciona como um manual pré-definido, sendo Open BIM para trabalhar com a interoperabilidade, que se dá por um ambiente colaborativo por meio de IFC (Industry Foundation Classes), que é um formato que permite o intercâmbio de informções. Também pode ser com BIM exclusivo (especialmente para a iniciativa privada) quando é utilizado somente determinados softwares nativos da mesma plataforma, como o Archicad ou Revit. Confusão entre BEP e BIM Mandate Há também uma certa confusão no mercado quando associam o BIM Mandate como BEP (Plano de Execução BIM). Enquanto o Manual BIM vai apresentar as regras gerais pré-definidas do trabalho com base no BIM, o BEP é criado a cada projeto, como foco em um produto específico, de contrato a contrato, para definir plano de implementação do BIM para aquele projeto, usos, processos, coleta de informações, responsabilidades e funções, softwares, cronograma, documentos, etc. BIM Mandate: exemplo do que deve constar Quando um escritório de arquitetura ou engenharia tem o seu próprio BIM Mandate pode agregar valor ao trabalho que vai oferecer aos seus clientes, porque demonstra que essas diretrizes podem promover um potencial de eficácia aos resultados do projeto. O processo de levantar informações sobre gargalos, custos e estimativas de melhorias por si só já agrega valor aos trabalhos das empresas que têm um BIM Mandate porque pode demonstrar que está compatível com as exigências e especificidades do mercado construtivo. Neste BIM Mandate estarão destacados detalhes das variadas etapas dentro do ciclo de vida do projeto BIM. Veja as informações que deverão constar no documento e serão disponibilizadas à equipe: Definição dos usos do modelo BIM e diretrizes de Modelagem; Definições de Projeto; Padronização de nomenclaturas de: materiais, bibliotecas, arquivos, etc; LOD (Nível de Desenvolvimento do modelo em cada etapa de entrega); LOI (Nível de Informação); Planejamento (BIM 4D); Orçamentação (BIM 5D); Coordenação de Projetos; Diretrizes de interoperabilidade; Entregáveis BIM; Utilização vinculada à EAP. Conclusão O BIM Mandate é recomendado para a fase anterior ao início do projeto porque certamente servirá para garantir muito mais estrutura aos dados e processos necessários. Dessa forma, tanto o planejamento quanto desenvolvimento do projeto tendem a ser muito mais organizados e eficientes. Vale a pena produzir o documento.

BIM Mandate: entenda o que é

O BIM Mandate pode ter duas interpretações: o documento (Manual do BIM) que detalha aspectos de modelagem ou mandato BIM, que é um padrão que