BIMTALKs – Semana 8 – BIM na educação da Arquitetura e da Engenharia

Olá pessoal,

essa semana teremos um assunto importante no BIMTalks. Iremos falar de educação do BIM nas faculdades de arquitetura e engenharia.
Para isso, teremos uma convidada muito especial. A prof. Dra. Regina Ruschel.

O assunto merece um espaço especial separado para essa conversa, visto que temos um problema cultural de formação de estudantes de arquitetura e engenharia que não sabem trabalhar de forma colaborativa e multidisciplinar, sendo fundamental para que o BIM, como metodologia, funcione plenamente.
Incorporar cursos livre de softwares não é uma solução. No máximo, paliativa, em aproximar os estudantes do BIM. Mas, na verdade, deve-se integrar, desde cedo, os alunos aos pilares do BIM, ou seja, Tecnologia, Processos e Pessoas.

Muitas faculdades cometem esse erro. Estão tão preocupadas em oferecer software, que esquecem, ou apenas não sabem como oferecer BIM dentro dos seus programas pedagógicos.
Algumas experiencias tem sido testadas em algumas faculdades, onde alunos de arquitetura interagem com alunos de engenharia. Aliás, é vontade da CBIM Nacional e de suas regionais a criação de uma Rede Nacional de faculdades de arquitetura e engenharia para colaboração entre estudantes. Está em processo de desenvolvimento do projeto e já iniciaram as negociações com várias faculdades pelo Brasil. A CBIM tem trabalhado com o intuito de ajudar a disseminação do BIM no Brasil e ajudar as ações do governo Federal na Estrategia de Implantação do BIM no Brasil.
Convido aos acadêmicos, professores, coordenadores e instituições de ensino de arquitetura, engenharia e construção civil a participarem dos comitês acadêmicos da CBIM em seu estado.
Discutir meios do BIM ser implantado de maneira prática e fácil na academia, com a finalidade de gerar profissionais qualificados para o futuro.
Para completar, diversas instituições de ensino de Pós-graduação já apareceram para oferecer mais conteúdo e formação para especialistas em BIM. É uma boa noticia saber que o Brasil tem tantas instituições que possam especializar nossos profissionais no mercado.
Particularmente, sou dono de um desses cursos. O Master BIM Specialist, integrante do Master BIM Authority, em parceria com a faculdade UNYLEYA, e o Master BIM Modeler, em parceria com a faculdade UNISUAM são oferecidos pelo Grupo AJ. Em paralelo, temos cursos de Pós em BIM ofercidos pelo IPOG, INBEC, ISETEC, CESMAC, entre outros.
Resumindo pessoal….qualifiquem-se…..estudem…..se tivermos profissionais especializados em BIM, conseguiremos colocar para rodar a engrenagem da economia do Brasil que ainda está lenta. Ou seja, nossa resposta à vários problemas está na EDUCAÇÃO.

Compartilhe

Mais Posts

O BIM Mandate pode ter duas interpretações: o documento (Manual do BIM) que detalha aspectos de modelagem ou mandato BIM, que é um padrão que estabelece políticas de implementação da metodologia em certos países. Neste aspecto, o BIM Mandate Brasil é a Estratégia BIM BR, lançada pelo decreto 10.306, de abril de 2020. No decreto, o governo federal estabeleceu a utilização do Building Information Modeling na execução direta ou indireta de obras e serviços de engenharia realizada pelos órgãos e pelas entidades da administração pública federal, no âmbito da Estratégia Nacional de Disseminação do Building Information Modelling- Estratégia BIM BR, instituída pelo Decreto nº 9.983, de 22 de agosto de 2019. Neste post, vamos focar no Manual BIM, que é essencial para os projetos do setor, pois é a definição dos fornecedores ou construtoras sobre as necessidades de informação da estrutura do modelo e vai orientar todo o processo de desenvolvimento do projeto. Leia o post até o final para entender melhor o BIM Mandate, que pode também ajudar as empresas nas contratações de projetos. O que é BIM? Antes de falar de BIM Mandate (Manual BIM), vamos entender o que é BIM (Building Information Modeling). Essa é uma metodologia que envolve um processo inteligente e colaborativo, baseado em um modelo 3D único para a indústria da Arquitetura, Engenharia e Construção. Como o modelo é único, o processo é totalmente colaborativo entre as disciplinas permitindo projetar, analisar, planejar, gerenciar e operar sistemas de construção de uma forma muito mais rápida e segura do que os métodos tradicionais. Além disso, o BIM também possibilita redução de custos e de tempo de execução de obra, permitindo agregar muito mais valor aos projetos do setor construtivo. No mundo, a necessidade da metodologia vem crescendo de tal forma que, além das edificações, também tem sido utilizado o BIM na modelagem das cidades. Para que serve BIM Mandate? Vamos ao BIM Mandate ou Manual BIM: é um documento essencial porque vai orientar as equipes tanto na identificação quanto na execução de cada fase do ciclo de vida do projeto. Normalmente, é utilizado por uma construtora, empresa de projetos ou setor do órgão público com suas regras gerais de trabalho em BIM. Por meio deste documento, criado antes de iniciar o projeto, todos os padrões de construção são definidos e especificados pelos fornecedores (escritórios de arquitetura ou engenharia) ou empreiteiras. São formas únicas de realizar o procedimento para modelagem. Funciona como um manual pré-definido, sendo Open BIM para trabalhar com a interoperabilidade, que se dá por um ambiente colaborativo por meio de IFC (Industry Foundation Classes), que é um formato que permite o intercâmbio de informções. Também pode ser com BIM exclusivo (especialmente para a iniciativa privada) quando é utilizado somente determinados softwares nativos da mesma plataforma, como o Archicad ou Revit. Confusão entre BEP e BIM Mandate Há também uma certa confusão no mercado quando associam o BIM Mandate como BEP (Plano de Execução BIM). Enquanto o Manual BIM vai apresentar as regras gerais pré-definidas do trabalho com base no BIM, o BEP é criado a cada projeto, como foco em um produto específico, de contrato a contrato, para definir plano de implementação do BIM para aquele projeto, usos, processos, coleta de informações, responsabilidades e funções, softwares, cronograma, documentos, etc. BIM Mandate: exemplo do que deve constar Quando um escritório de arquitetura ou engenharia tem o seu próprio BIM Mandate pode agregar valor ao trabalho que vai oferecer aos seus clientes, porque demonstra que essas diretrizes podem promover um potencial de eficácia aos resultados do projeto. O processo de levantar informações sobre gargalos, custos e estimativas de melhorias por si só já agrega valor aos trabalhos das empresas que têm um BIM Mandate porque pode demonstrar que está compatível com as exigências e especificidades do mercado construtivo. Neste BIM Mandate estarão destacados detalhes das variadas etapas dentro do ciclo de vida do projeto BIM. Veja as informações que deverão constar no documento e serão disponibilizadas à equipe: Definição dos usos do modelo BIM e diretrizes de Modelagem; Definições de Projeto; Padronização de nomenclaturas de: materiais, bibliotecas, arquivos, etc; LOD (Nível de Desenvolvimento do modelo em cada etapa de entrega); LOI (Nível de Informação); Planejamento (BIM 4D); Orçamentação (BIM 5D); Coordenação de Projetos; Diretrizes de interoperabilidade; Entregáveis BIM; Utilização vinculada à EAP. Conclusão O BIM Mandate é recomendado para a fase anterior ao início do projeto porque certamente servirá para garantir muito mais estrutura aos dados e processos necessários. Dessa forma, tanto o planejamento quanto desenvolvimento do projeto tendem a ser muito mais organizados e eficientes. Vale a pena produzir o documento.

BIM Mandate: entenda o que é

O BIM Mandate pode ter duas interpretações: o documento (Manual do BIM) que detalha aspectos de modelagem ou mandato BIM, que é um padrão que